A dupla Miguel Nunes/João Paulo em Hyundai i20 R5 foram os vencedores do Rali do Marítimo – Município de Machico, a segunda prova do Campeonato de Ralis Coral da Madeira 2019, somando o tempo total de 44:55,6.

O campeão ficou em primeiro lugar por 05,3 segundos “Não tem sido fácil, realmente desde o final do ano passado temos tido uma espécie de nuvem negra. Este rali começámos a achar que os problemas estavam resolvidos, mas tínhamos um erro no setup. Tivemos que arriscar muito para contrariar. Felizmente chegámos na primeira posição. O Alexandre e o Pedro tiveram muito bem. Era impossível ter chegado ao 1.º lugar sem a alteração que foi feita, correu bem. Fomos surpreendidos nas zonas rápidas, mas valeu a pena. Mudamos as molas do carro e mais alguns ajustes.”

Pedro Paixão chega à meta com um sentimento de tristeza ao conseguir o 2.º lugar do pódio depois de ter estado na liderança em sete das onze classificativas especiais. Tornando o rali uma luta muito renhida até ao final da 11.ª PEC. “Liderámos o rali até cometermos um erro. Do qual tenho que pedir desculpa a toda a minha equipa, co-piloto e equipa de assistência. O carro está competitivo, está bom, mas merecíamos melhor.

Nos estávamos à espera de conseguir chegar ao ponto de disputar rali não sabia se seria tão cedo mas mais cedo ou mais tarde íamos chegar porque temos carro para isso e acredito nas minhas capacidades, apesar de termos perdido a vitória que nos poderia por na liderança do campeonato mas vamos tentar recuperar nos próximos ralis.”

O pódio ficou completo com Alexandre Camacho/Pedro Calado a 28,6 segundos do primeiro classificado devido à avaria no censor do acelerador do Skoda Fabia R5. “Se não fosse a avaria estaríamos mais próximo, mas acontece. Muitos parabéns ao Miguel pelo excelente rali e ao Pedro Paixão. Ele merecia. Vamos ter que trabalhar para o próximo para estarmos um pouco melhores e especialmente sem ter estes azares.”

Rui Pinto ao volante do Ford WRC foi o 4.º classificado da prova, ficando a 1:19,7 do vencedor. “Estamos no bom caminho, há que continuar. Este carro é muito peculiar tem muitas afinações, arranjamos uma coisa estraga outra.”

Fechou o top 5, Filipe Pires e Vasco Mendonça em Mitsubishi Lancer EVO X a 2:30,6 de Miguel Nunes e uma diferença de 1:10,9 de Rui Pinto. “Ganhamos o grupo N, acabamos o rali que era o que queríamos; fazer pontos para o campeonato.”

A equipa do Citroen DS3 R3T, Bruno Fernandes e Mauro Sousa terminaram em 9º lugar e foram os mais rápidos dos RC3, Artur Quintal/Vítor Henriques em Peugeot 208 R2 foram os melhores da classe RC4B e Bruno Coelho/Paulo Coelho (Toyota Yaris) ficaram no topo dos RC5 com o tempo de 53:51,6. “O balanço só pode ser positivo, terminamos e ganhamos dentro na nossa classe, os Yaris.”

A prova foi marcada pelas desistências de João Silva/Ricardo Ventura em Citroën DS3 R5, Ilídio Sardinha/Énio Andrade com Citroen C2 R2, António Abel/Jacinto Ferreira no Toyota Celica GT-FOUR, Vítor Sá/Rubina Gonçalves a bordo do Citroën DS3 R3T, e Pedro Macedo/Ricardo Dinis em Citroën C2 R2 por avaria mecânica, José Camacho/Nicodemo Câmara (FIAT Punto S2000) por avaria e Paulo Nóbrega/Igor Velosa por despiste com o Toyota Yaris.

Destaque final para a organização do C. S. Marítimo e para o imenso público que se espalhou ao longo dos cerca de 170km de troço, principalmente nas zonas espetáculo.

Texto: Press-Release