O CPKA – Clube de Promoção de Karting e Automobilismo, enquanto
organizador da Baja TT Vindimas do Alentejo, vai processar o Estado, pelos
prejuízos provocados pela interrupção da prova no passado sábado, não só à
organização, mas igualmente aos pilotos, equipas, patrocinadores, parceiros,
prestadores de serviços e todos os demais, que foram afetados com o despacho
injustificável, em que o critério apenas proibiu a realização de provas de
automobilismo em zonas de alerta laranja e não em zonas de alerta vermelho
conforme aconteceu em Amarante e Baião, na Serra da Arrábida e na Serra do
Caramulo.
O Governo alterou o decreto de lei em causa na noite de sexta-feira, apenas e
somente, para permitir a realização de fogos de artificio, ignorando as
solicitações do presidente da Câmara Municipal de Beja, enquanto Comandante
da Proteção Civil, bem como de outras entidades, para que a alteração do
mesmo decreto de lei contemplasse também a autorização para continuidade da
Baja TT Vindimas do Alentejo, um evento que se realizava apenas e somente
em zonas rurais e com os meios adequados e obrigatórios para a prevenção e
combate a incêndios, numa área onde não existe floresta e que a previsão
sempre apontou para a descida das temperaturas, conforme aconteceu e onde
inclusivamente choveu nos dias 8 e 9 de setembro.
O CPKA, vai pedir a todos os pilotos, equipas, patrocinadores, prestadores de
serviços, que quantifiquem os seus prejuízos, para exigir ao Estado os milhares
de euros de prejuízos causados.
Comunicado no 3

Lisboa 12 de setembro de 2019

Humberto Silva
Presidente da Comissão Organizadora

Ver comunicado n.º 3 (.PDF):

Comunicado nº 3 - CPKA VAI PROCESSAR O ESTADO